Estimativa rápida participativa como ferramenta de diagnóstico na estratégia saúde da família

Resumo: A estimativa rápida constitui-se ferramenta apropriada ao planejamento estratégico situacional para equipes de Saúde da Família, possibilitando a análise da situação de saúde do território, considerando a perspectiva dos diferentes atores sociais envolvidos na construção da realidade local. O presente estudo apresenta dados coletados no município de Pinhalzinho, oeste de Santa Catarina, por meio do Sistema de Informações da Atenção Básica (SIAB), oficinas com crianças e adolescentes de escolas locais, grupos de gestantes, idosos, hipertensos e diabéticos, bem como entrevistas com 11 lideranças e observação em campo, buscando identificar problemas e potencialidades que influenciam a saúde. Agentes comunitárias participaram do processo por meio de oito oficinas, que resultaram na construção de mapas físicos contemplando situações de interesse para o diagnóstico de saúde. Os resultados foram organizados a partir das seguintes dimensões: a) composição e capacidade de agir da população; b) fatores que influenciam as condições de vida e de saúde da comunidade; c) existência, cobertura, acesso e aceitabilidade de serviços de saúde, ambientais e sociais; e d) políticas públicas favoráveis e controle social na saúde. A estimativa rápida promove maior participação da comunidade no planejamento, mas também a intersetorialidade, gerando maior diálogo entre envolvidos e favorecendo a definição de ações e estratégias de promoção da saúde.

Palavras-chave: Participação comunitária. Estratégia Saúde da Família. Promoção da saúde. Ação
intersetorial. Diagnóstico da situação de saúde.

Autores: Maria Elisabeth Kleba, Tânia de Fátima Duarte, Aline Romanini, Denise Cazarotto Cigognini, Ivanete R. Althaus

Link de acesso: https://bell.unochapeco.edu.br/revistas/index.php/grifos/article/view/3279/1888