Relações de gênero ou ideologia de gênero? (Im)possibilidades democráticas no debate (a)político sobre o plano municipal de educação de Chapecó (SC)

Resumo: Este artigo apresenta o embate político-ideológico que ocorreu na Câmara Municipal de Vereadores de Chapecó (SC) ao discutir as diretrizes do Plano Municipal de Educação (PME) para os próximos dez anos, debate centrado no desentendimento em torno dos termos teorias de gênero e ideologia de gênero. Objetiva-se analisar as conexões entre ética e religião com relação ao estado laico e a política democrática a partir do método etnográfico, utilizando-se de diário de campo da audiência pública ocorrida em 31 de agosto de 2015. Identificam-se os argumentos sobre os quais defensores da “ideologia de gênero” colocam seus posicionamentos relativos ao gênero e a orientação sexual qualificando-os como algo destrutivo para a ordem estabelecida e trazendo algumas das doutrinas católicas que embasam estes posicionamentos. A instauração de um litígio democrático neste cenário exige que se problematizem os fundamentos que determinam a possibilidade do diálogo, em relação ao estado laico, e não apenas as definições em torno dos conceitos e sua validade no campo já constituído.

Palavras-chave: Plano Municipal de Educação, Ideologia de gênero, Relações de gênero,
Debate (a)político

Autores: Myriam Aldana Vargas, Murilo Cavagnoli, Daian Cattani

Link de acesso: https://seer.ufs.br/index.php/forumidentidades/article/view/6220