Relações humanas melhoram desempenho de estudantes

Relações afetivas entre estudantes e pais, professores e a escola melhoram o desempenho educacional, segundo artigo publicado no periódico Education Psychology Review

Quando estudantes têm desempenho escolar menor do que o desejado, os dirigentes escolares freqüentemente examinam o tamanho das salas, o currículo e o estado de conservação das escolas, mas pesquisadores da Universidade do Missouri sugerem que estabelecer relações com colegas, professores e a própria escola pode aumentar o desempenho dos estudantes. Em recente artigo de revisão, eles mostraram que estudantes que mantiveram este tipo de relação têm melhores notas e se saem melhor em testes-padrão. “Em tempos de responsabilidade, melhorar a relação estudante-professor não é meramente uma vantagem, é fundamental para atingir resultados”, afirma Christi Bergin, professora associada na Faculdade de Educação da Universidade do Missouri. “Uma relação segura estudante-professor prevê maior conhecimento, maiores notas, maior motivação acadêmica e menos reprimendas e casos que requeiram condutas educacionais especiais. Crianças que tem relações conflituosas com professores tendem a gostar menos da escola, são menos independentes nos estudos e cooperam menos em sala de aula.”

Os autores fizeram um resumo da pesquisa nas relações afetivas entre estudantes e pais, professores e a escola. Eles encontraram que as relações afetivas dos estudantes influenciam o bom desempenho escolar através de duas vias: indiretamente através da ligação com os pais, a qual afeta o comportamento da criança na escola e diretamente através da ligação com professores e a escola. Crianças com ligações saudáveis são aptas a controlar suas emoções e são mais socialmente competentes e dispostas a encarar desafios de aprendizado em classe. “Para ser efetiva, professores devem conectar-se com os alunos com atenção e demonstrar afeto, respeito e confiança” afirma David Bergin, professor associado da Psicologia Educacional e co-autor do artigo. “alem disso, é importante que as escolas façam as crianças se sentir seguras e valorizadas, o que permitirá que elas encarem desafios sociais e intelectuais e explorem novas idéias.”
O artigo de revisão “Afeição na Sala de Aula” foi recentemente publicado no periódico Education Psychology Review da autoria de C. Bergin e D. Bergin.

 

Acesse o artigo completo: https://www.researchgate.net/publication/225217736